domingo, 28 de julho de 2013

Duas Receitas, Duas Memórias e Um Desafio!

A minha querida "vizinha", do Blog A Madeirense Carla Sofia, lançou um desafio em forma de passatempo para celebrar o seu primeiro aniversário do blog, que contasse-mos uma memória ou uma tradição presente na nossa família e que daí resultasse uma receita.

Ora, lembrei-me logo do Verão!!

Sou do Continente, mas já estive a morar na Madeira alguns anos e neste momento estou nos Açores.
Por isso as minhas férias é sempre para ver família... Ou seja, resume-se a Lisboa, Porto ou Alentejo.

Onde encaixo aqui uma memória?

Desde que me lembro da minha existência (até bem tarde...!) as minhas férias de verão eram sempre passadas no Algarve!! E para mim, Algarve significa Petiscos & Praia!!!

Ora, sendo dos Açores e indo passar as férias ao Continente só para ver e estar com a família, o tempo não estica e o Algarve é coisa do passado... Que tantas recordações e saudades me trás!!

Portanto, se há prato que adoro e tenho saudades de o comer como deve ser é ameijoas à bolhão pato!! Aquele aroma é inconfundível e irresistível!! Sempre que faço esta receita faz-me regressar às petiscadas no Algarve... Ao verão e às praias do Continente, que tão diferente são dos Açores... É missão impossível apanhar marisco fresco no mercado (infelizmente...!!!!!) por isso este prato é feito com ameijoas congeladas...

Massada de Salmão à Bulhão Pato

Cozo qualquer tipo de massa e reservo.

Numa frigideira ou wok coloco um fio de azeite e um dente de alho esmagado, coloco 2 lombos de salmão, temperado de sal e pimenta. Vou virando e com a ajuda de um garfo vou desfazendo o salmão gentilmente.

Refresco com vinho branco, junto as ameijoas e deixo reduzir, para evaporar o álcool e apurar.

Depois das ameijoas abertas coloco sumo de limão (cerca de meio limão) e junto a massa.

Mexo bem, deixo apurar mais uns minutos, rectifico temperos e finalizo com coentros.


É uma receita que me faz voar até às minhas férias de verão e aos bons petiscos!!
Se fossem ameijoas frescas dispensava o salmão e a massa!!!! :)

A segunda receita é uma memória de infância, também relacionada com férias, verão, praia, Algarve...

Quem não se lembra das bolas de berlim que comiamos na praia??? Que saudades... Depois de muitas brincadeiras nas ondas, caíamos redondos na toalha, a Mãe dava-nos uma sandes de frango ou carne do dia anterior, com ovo e alface, eu virava a toalha para o mar para estar a comer e a ver as ondas (gosto de vistas privilegiadas enquanto como!) e depois era aguardar que o senhor das bolinhas passasse.

Era em êxtase que este senhor era esperado e quando aparecia era a alegria geral!!! Ainda hoje deve ser parecido... Não sei... Já há muito tempo que não vivo esta memória...

Mas por questões de saúde, as bolas de berlim foram banidas da minha alimentação...

Por isso fiz uns queques para me fazer lembrar as bolas de berlim. São muito semelhantes. Fazem menos mal, mas de sabor até são parecidos. Se fecharmos os olhos e nos transportarmos para aquela altura, conseguimos sentir o sabor às ditas bolinhas....!!!! :) :) :)

Queques recheados com compota 
(receita do livro da Nigella)

Aquecer o forno a 190ºC.

Com um garfo, misturar os 125 ml de leite, 85 ml de óleo (pus azeite), 1 ovo grande, 1/2 colher de chá de essência de baunilha.

Misturar este líquido às 200 gr de farinha com 1 colher de chá de fermento e 100 gr de açúcar (retirei um pouco, pois vai levar açúcar em cima dos queques). Não misturar muito, é só para combinar. Não importa se ficar com grumos; se bater demais os queques ficam duros.

Encher um terço das formas com a mistura. Depois colocar 1 colher de chá de doce de frutos silvestres da Quinta dos Jugais (pode ser outro doce qualquer, claro!) no meio e depois encher com o resto da massa.

Levar ao forno pré-aquecido a cozer cerca de 20 min. ou até os topos estarem elásticos e resistentes e os queques terem crescido.

Entretanto derrete-se 100 gr de manteiga sem sal numa caçarola e prepara-se uma taça com um bocadinho de açúcar (cerca de 100 gr) e canela (ideia minha...).

Quando os queques estiverem prontos, retira-se das formas de silicone, mergulham-se na manteiga e depois no açúcar. Comem-se mornos...


A Nigella diz que dá para 12. Nas minhas formas só deu para 6.

Uma perdição que só se faz quando a saudade aperta muito, muito, muito...!!!!


Boas memórias, bons pratos, excelentes sabores!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...