sábado, 22 de Novembro de 2014

Peito de Perú com Alperces!

Adoro a minha Bíblia Culinária! A Culinarium da Vaqueiro que gentilmente me ofereceram.

Tem tantas receitas que é difícil de escolher! Mas esta, do separador das carnes de Perú, sobressaiu.

Cortei cerca de 50 gr de alperces secos em três, pus de molho em 50 ml de aguardente velha. Reservei.

Num almofariz, esmaguei 2 dentes de alho, uma malagueta e meia colher de chá de gengibre fresco ralado.

Cortei cerca de 400 gr de peito de perú em cubos e envolvi a pasta do alho, gengibre e malagueta.

Num tacho, com 25 gr de vaqueiro líquida, alourei uma cebola picada e depois adicionei a carne. Alourar de ambos os lados e depois adicionar meia lata de tomate pelado. Tapar e deixar suar cerca de 5 minutos.

Adicionar meio caldo de carne natura, regar com 250 ml de água e uns pozinhos de açafroa.

Tapar e deixar cozinhar em lume brando cerca de 10 a 15 minutos, mexendo de vez em quando. Adicionar depois os alperces e a aguardente e deixar cozinhar tapado mais 5 minutos. Finalizei com coentros.

Acompanha com arroz branco.

Agradavelmente surpreendente!



sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

Bacalhau com Broa & Castanhas!

Eis a minha interpretação de Bacalhau com Broa. Simples, rápida e com muito sabor!

Cozi duas postas de bacalhau e depois de cozido, lasquei e reservei. Na mesma água cozi cerca de 100 gr de castanhas. Depois de cozidas, descasquei, piquei grosseiramente e reservei.

Desfiz uma broa pequena, com a mão, em pedacinhos muito pequenos, depois adicionei azeite, um dente de alho picado e as castanhas. Reservei novamente.

Num tacho, coloquei uma cebola em rodelas finas a refogar em azeite, depois adicionei o bacalhau grosseiramente lascado e um molho pequeno de agriões. Dei uma volta para envolver tudo muito bem na cebolada e depois coloquei numa travessa de barro. Tapei com a broa e castanhas (não coloquei tudo) e foi ao forno cerca de 20 min. Finalizei com coentros.

**As sobras de broa com castanhas, guardei numa caixinha no frigorífico e no dia seguinte fiz com alheira de Sta Maria (retirar a pele à alheira e desfiar, colocar numa travessa de ir ao forno, um molhinho de agriões por cima e a broa com castanhas. Forno cerca de 20 min e está pronto!).

Ficou deliciosamente bom, com uma crosta bem crocante!



quinta-feira, 20 de Novembro de 2014

Bifes de Frango com Molho Outonal!

Com o tempo desta forma já apetece pratos outonais.

Grelhei bifes de frango e reservei. No mesmo grelhador, (pois ainda tem aqueles restinhos de carne que ficam sempre agarrados e isso é sabor!) coloquei uma colher de sopa de manteiga, uma cebola pequena bem picada, 5 cogumelos laminados, deixei-os reduzir, depois coloquei meio copo de vinho (misturei Madeira e Porto), fiz flambé e reduzi o molho. Temperei de sal e por fim uma colher de sopa de leite de côco, castanhas assadas picadas grosseiramente que tinha sobrado do dia anterior e terminei com manjericão.

Servi com arroz branco, os bifes de frango grelhados e o molho por cima.


terça-feira, 11 de Novembro de 2014

Risotto de Castanhas com o caldo de peixe...

Como disse no post anterior, com a sobra do caldo de peixe (e também sobrou lombinhos de peixe) fiz um risotto espectacular! Baseei-me na minha receita, mas com algumas alterações.

Sendo hoje dia de S. Martinho, tinha que fazer algo com castanhas.

Então, antes de mais, cozi as castanhas (cerca de 15 +/-) em 500 ml de caldo de peixe do dia anterior. Depois de cozidas, retirei e reservei quente o líquido para o risotto.

Outra alteração, foi logo no início, no azeite, coloquei alho francês em juliana fina que me tinha sobrado e pimenta da terra bem picadinha.

Depois fiz tal e qual como de costume, só que desta vez em vez de ser com leite foi com o caldo de peixe, onde cozeu as castanhas.

Era para ter colocado cogumelos, mas esqueci-me...

Depois a outra alteração foi que no fim em vez de ser com creme fraîsche ou mascarpone, foi com leite de côco, uma colher de sopa bem cheia. Termina com manjericão em juliana ou cebolinho.

Não esquecer de colocar as sobras do peixe, as castanhas picadinhas (mas não muito, nem moídas, para depois se notar alguma textura), envolver e está pronto!

segunda-feira, 10 de Novembro de 2014

Chowder à Moda Açoriana!

Após o meu post no Facebook, fui desafiada pelo Pedro Niny Duarte para experimentar a pimenta da terra num chowder com um twist oriental ;-)

Um chowder, basicamente é um caldo de peixe feito com leite, são várias as teorias da sua origem e não tem uma receita básica.

Então, agarrando nas dicas do Pedro e dando asas à minha imaginação, saiu algo deste género:

Fiz um caldo de peixe, com 2 litros de água numa panela, peixe à vossa escolha (eu usei 2 filetes de abrótea), 6 camarões com casca, 2 dentes de alho com casca, 1 folha de louro, pimenta rosa em grão, sal q.b., um pedacinho de alho francês e as cascas de uma cebola. Deixei ferver e ao fim de 5 a 10 minutos apaguei e coei o caldo. Reservei, mas já com o peixe e marisco cá fora.

Depois num tacho, coloquei um fio de azeite, muito pouco, 5 fatias de bacon cortadas em tiras, deixar ganhar cor e depois adicionar uma colher de sopa de manteiga e uma cebola bem picada e um bocadinho de alho francês em juliana fina.

Deixar refogar e introduzir os cogumelos frescos laminados (3 ou 4) e algumas conchas do caldo (eu contei e no total foram 12, mas não introduzi tudo de uma vez e se acharem que é pouco introduzam mais).

Adicionei a pimenta da terra em pedacinhos bem pequenos, deixar ferver, depois em lume brando cerca de 10 min e por fim 2 colheres bem cheias de leite de côco. Deixar ferver para apurar e engrossar ligeiramente, rectificar temperos e por último, já com o lume desligado, um pingo de jindungo, os camarões e o peixe que estavam de reserva e uma mão bem cheia de coentros (guardar o caldo que sobrou pois é óptimo para um risotto).

Servir com pão torrado.

Um caldo bem aveludado, com as suas origens dispersas, um twist asiático e um toque açoriano!

domingo, 9 de Novembro de 2014

Bolonhesa with a Little Twist...

De vez em quando é giro dar a volta às receitas. Pegar numa receita básica e shake a little bit!

Fiz bolonhesa com pimenta da terra.


Não faço refogado, ponho tudo num copo da varinha e passo. Uma cebola, um dente de alho, um jindungo praticamente sem sementes e meia lata de tomate pelado.

Coloco esse preparado num tacho com um fio de azeite e deixo ferver. Junto 100 ml de vinho tinto e 25 ml de molho de soja. Volta a ferver e só depois adiciono a carne (cerca de 400 gr)  e uma pimenta da terra cortada muito pequenina e sem sementes (e das mais gordinhas, pois as mais fininhas são super picantes.

Deixo cozinhar cerca de 30 min (se necessitar acrescentar um bocadinho de água).
Deixar apurar todos os sabores. Rectifico o sal, pimenta e no final polvilho com coentros e manjericão fresco.

Acompanha com esparguete e queijo parmesão ralado.


*Com as sobras da bolonhesa e com as sobras do bifes de frango com o molho, fiz um pitéu que desapareceu num instante! Nem tirei fotos... Mas é simples: Basta acrescentar uma lata de feijão preto e umas tortilhas e depois tudo na mesa, cada um faz a combinação que entender! Eu adorei uma tortilha barrada com o molho de abacate, o feijão preto e a bolonhesa! Enrola-se e come-se, mesmo à mão!

Às vezes os aproveitamentos são tão bons ou melhore que a receita original! ;-)

sábado, 8 de Novembro de 2014

Panados de Frango no forno com Molho de Abacate e Iogurte!

Adoro comer panados, mas a palavra "fritos" assusta-me...

Então faço-os no forno, e sempre com Panko (pão ralado japonês), fica mais leve, mais crocante e super bonitões!

Faço com bifes de frango, passo por farinha, depois por ovo e por fim panko (o meu é já temperado, portanto não preciso de temperar os bifes). Ponho no tabuleiro e pulverizo com azeite em spray e vai ao forno a 180ºC durante 20 min.

Acompanha com molho de abacate e iogurte. já tinha visto a Filipa Gomes a fazê-lo no 24Kitchen e ficou-me na cabeça! Adorei a ideia e pus em prática:

Um abacate maduro, esmagado, com um iogurte natural e uma colher de mascarpone. Temperar com um bocadinho de sal, sumo de meia lima, um fio de azeite e manjericão em juliana. Bati bem com a vara de arames (a Filipa utiliza o liquidificador).

Adorei a ideia, sem dúvida a repetir!


sexta-feira, 7 de Novembro de 2014

Embrulhos de Salmão!

É mais uma ideia do que receita, mas aqui vai...

Embrulhar uma fatia de bacon à volta de um lombo de salmão. Dar uns golpes para espetar sementes de abóbora e enfeitar com azeitonas. Polvilhar com endro. Não pus sal pois o bacon já vai dar o toque de salgado ao salmão.

Vai ao forno a 180ºC durante 15 a 20 min. Não cozinhar demais o salmão. Acompanha com batata assada, mas assei à parte, pois a batata precisa de mais tempo, ou seja, introduzir a batata e quando falar cerca de 15 min, introduzir o salmão.

Finaliza com cebolinho.

Simple as that...!

quinta-feira, 6 de Novembro de 2014

Gelatina de Iogurte com sementes de chia!

Uma sobremesa tão rápida...

Fiz a Gelatina da Branca de Neve Tangerina conforme indica na embalagem.

Coloquei numa taça e deixei arrefecer.

Entretanto, coloquei uma colher de sopa de sementes de chia dentro de um iogurte natural e mexi. Deixei que elas "engordassem".

Após a gelatina ter arrefecido, quase a querer solidificar, adicionar o iogurte e mexer com uma vara de arames para que se misture bem. Não consegui que ficasse tudo unido, nota-se que o iogurte desintegrou, não sei o que terá falhado*, mas ficou muitíssimo bom na mesma!

No final parti amêndoa e torrei ligeiramente e coloquei por cima, juntamente com mais umas sementes de chia.

Foi ao frigorífico, pelo menos 3h para solidificar.

Saudável e super rápido!





*P.S.: Já experimentei e está um espectáculo! Adoro esta sobremesa!! Ficou bem na mesma, mas para a próxima vou tentar fazer direitinho: descobri o que fiz de errado para o iogurte não ter integrado bem na gelatina. Pus água a mais na gelatina! Para este tipo de receita pelos vistos não podemos pôr toda a água que o pacote diz. Temos que reduzir pelo menos para metade. É a lógica da batata, mas a errar é que aprendemos e só não erra quem nada faz... Para a próxima já sei! :-)
Aqui ficam algumas dicas: Gelatina de Iogurte

quarta-feira, 5 de Novembro de 2014

Bruschettas de Peito de Perú!

Uma receita muito rápida!

Agarrei na Focaccia, abri ao meio, coloquei peito de perú fatiado, mozzarela, cogumelos laminados, tomate, azeitona, sementes de sésamo, foi ao forno para gratinar, depois polvilhei com orégãos, e reguei ligeiramente com o molho que sobrou do peito de perú assado onde misturei umas gotas de vinagre balsâmico.

Rápido, económico e com muito sabor!


terça-feira, 4 de Novembro de 2014

Frango com molho de Soja & Mel - Novamente...

Adoro esta receita e voltei a fazer, mas agora com a variante de em vez de ter colocado limão, coloquei vinagre balsâmico. Uma pequena perdição de lamber os dedos...

Parti meio frango aos bocados e fiz uns golpes. Deixei a pele.

Já na travessa de ir ao forno, temperei com uma noz de gengibre fresco ralado, duas colheres de sopa de molho de soja, duas colheres de sopa de mel, um dente de alho ralado e uma malagueta das minhas (jindungo) bem picada e sem sementes. Regar com vinagre balsâmico (cerca de uma colher de sopa). Envolver bem o frango no molho e salpicar com sementes de sésamo.

Vai ao forno tapado com folha de alumínio durante 30 min a 180ºC e destapar por mais 15 min ou até ficar com um aspecto pegajoso! Servi com arroz branco Thai Jasmim.

E não tenham vergonha de no fim lamber os dedos... hihi!!

domingo, 2 de Novembro de 2014

Jantar de amigos => Muita animação!!

Um jantar de amigos é sempre sinónimo de boa comida, muito boa disposição, muita cumplicidade e muita diversão!


A simplicidade reina neste tipo de jantares, pois quanto mais complicamos menos corre bem!

Jantares com amigos é sempre uma desculpa para inventar novas receitas ou para fazer aquelas receitas que andam guardadas à espera do momento certo.

Como foi na noite seguinte ao Halloween, ainda houve espaço para algumas receitas assustadoras!

Houve os dedos arrancados (salsichas com molho de tomate)


As pontas das salsichas foram para uma tacinha com o resto do molho de tomate e tomilho. Bom para ir picando entre uma boa conversa!

Houve novamente aquela entradinha com atum Sta Catarina e Pêra Abacate (adoro, fica sempre elegante e não enche!)

Depois houve pasta verde para a criançada (esparguete com molho de pesto - não há fotos pois não houve tempo!), Lasanha de Bacalhau feito pela amiga Sandra e uma bela Feijoada Mexicana feita pelo nosso amigo João com tortilhas caseiras! Tudo regado com um belo vinho!



A receita da Lasanha de Bacalhau é muito simples:

Refogado com cebola e bastante azeite.
Depois introduzir o alho, o bacalhau desfiado, os espinafres. Mexer ligeiramente e deixar refogar.
Adiciona-se um pacote de natas e dois de bechamel.
Na travessa, regar com um fio de azeite, depois colocar uma camada de massa lasanha crua, seguidamente de uma camada de bacalhau e depois queijo ralado e repetir.
Terminar com a camada de bacalhau e queijo.
Vai ao forno até gratinar. Cerca de trinta min a 180ºC.

A feijoada e as tortilhas, ainda não consegui arrancar a receita do Chef João!!

Para terminar tinhamos o meu cheesecake de lima, transformado num pântano!

A receita é esta, mas com a modificação de em vez da lata inteira de leite condensado, meti só metade e o resto da lata enchi com polpa de abóbora que tinha sobrado desta receita!

Por cima coloquei olhos de açúcar, amêndoa mergulhada em chocolate, compota de abóbora da Quinta de Jugais, candy corn e folhinhas de tomilho.



Havia também pudim de côco e bolo de cenoura com amêndoa feito pela Natércia e pela Sandra. Mas não tenho a receita...


E assim se terminou, em beleza, mais uma noite de animação e muito Karaoke!

sábado, 1 de Novembro de 2014

Peito de Perú à minha maneira!

Tão rápido e não fica seco!!

Farta de peito de perú que ficava seco e sem sabor, até que encontrei a receita perfeita! Às vezes temos destes momentos na cozinha...!!

Peito de perú (eu corto aos bocados, nunca faço um inteiro - o bocado que corto tem cerca de 300 a 400 gr) com uns golpes por cima, já dentro da travessa que vai ao forno, temperar com sal e pimenta, paprika, um copo de vinho branco, coentros (inteiros), tomate pelado aos bocados por cima do peito de perú e um fio de azeite. Vai ao forno cerca de 30 min a 180ºC destapado ou até verem que já está cozinhado.


A-D-O-R-O! E faço com muita frequência, pois sobra sempre e as sobras são sempre muito bem aproveitadas para 1001 coisas!

sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

Halloween!!

Mais uma noite de Halloween!

Cá em casa foi festejado, mas não foi muito assustador :-)

O prato que confeccionei não foi como o ano passado, mas sempre deu para puxar pela imaginação e isso é o que interessa!

Fiz entranhas de frango!


Não sabia que nome assustador lhe colocar, portanto foi o que saiu!!

Esparguete de trigo e esparguete nero, com peito de frango enrolado com queijo e fiambre e passado por sementes de papoila e sésamo. Foi ao forno por cerca de 20 min a 180ºC.


Parece mais um prato outonal do que de Halloween, mas soltemos a nossa imaginação, please.... :-)

Para a noite, queria estar preparada para a criançada quando viessem bater à porta, pois não queria sofrer nenhuma travessura!

Fiz biscoitos!


Dedos de Bruxa & Os Vesguinhos!



Fazem-se muito rápido! Mistura-se 350 gr de farinha, 100 gr de açúcar em pó, 130 gr de manteiga, 2 ovos, 1colher de chá de extracto de baunilha, raspa de limão e canela em pó.

Misturar todos os ingredientes e deixar descansar num local fresco durante duas horas. Eu não tive tempo e não deixei descansar... Mas ficaram óptimos na mesma!

Formar os biscoitos e vai ao forno cerca de 15min a 180ºC (consoante os fornos...)

Amanhã vai haver um jantar de amigos, portanto irá haver mais novidades!

HAPPY HALLOWEEN!!

quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

Abóbora Surpresa!

Abóbora recheada é sempre uma abóbora surpresa!

Comprei uma abóbora, não muito grande.

Abri em cima, tipo uma tampa e retirei as sementes e a maioria dos fios.

Esfreguei o interior com sal, pimenta e azeite.

Foi ao forno forrado a papel vegetal, com a abertura virada para baixo e a tampa incluído, cerca de 30 min a 180ºC (mas vai depender dos fornos e do tamanho da abóbora). É até verem que ela está mole, mas não em demasia, quando espetarem com a ponta da faca.

Enquanto a abóbora está no forno, cozi castanhas em água e sal, com alguns ramos de tomilho e a meio da cozedura introduzi a farinheira.

Quando a abóbora estiver pronta, retirar com cuidado a polpa para não danificar a casca. Reservar.

Picar as castanhas e retirar o interior da farinheira. Reservar.

Fiz esparregado (aproveitei sempre a água de cozer as castanhas e a farinheira) e depois foi só juntar tudo (castanhas, farinheira, esparregado e polpa de abóbora). Conforme o tamanho da abóbora, conforme a quantidade do recheio, ou seja, com a junção de todos os ingredientes sobrou-me recheio. Assim como, fiz com que sobrasse, só polpa de abóbora pois ia precisar para a receita de cheesecake.

No final polvilhei com queijo da ilha ralado e bocadinhos de polpa de abóbora e foi ao forno para gratinar.

Uma pequena maravilha!

Atenção, não é para comer assim de uma vez só! Acompanha bem com uma salada ou com uma sopa antes. E só para comer uma fatia! Pois pode correr o risco de ficar enjoativo...

terça-feira, 28 de Outubro de 2014

Cataplana de Boca Negra by Chef Justa Nobre!

Depois de ter visto a Chef Justa Nobre a confeccionar uma Cataplana de Cherne no Showcooking do Wine in Azores em cerca de 15 min, decidi arriscar também!

Então, metendo as mãos no peixe, saiu algo deste género...

Arranjei o peixe (Boca Negra) ficando só com o filete. Cortei em pedaços e reservei. As peles, aparas e espinha guarda-se para uma sopa de peixe ou um caldo que até pode servir para este prato, para cozer a massa.

Numa cataplana, coloquei um fio de azeite, meio bolbo de funcho em meias luas, uma cebola pequena em meias luas também e deixei refogar. Acrescentar tiras de presunto (eu não tinha...), 3 colheres de sopa de tomate pelado, sal e pimenta, um cálice de vinho branco, deixar reduzir ligeiramente e depois introduzir o peixe e se houver algum tipo de marisco (eu não tinha...). Ralar uma noz de gengibre e um dente de alho, acrescentar um copo de leite, segurelha e pimenta da terra, sem as sementes. Por fim adicionar um cálice de aguardente e fecha-se a cataplana. Abanar delicadamente e deixar cozinhar, não mais do que 15 minutos, deve ser o suficiente. Na hora de servir colocar coentros e/ou manjericão.

A massa cozi à parte, no caldo do peixe, onde introduzi (ainda quando estava a fazer o caldo) as cascas da cebola, algumas aparas do funcho, alguns talos de coentros, aproveitamentos do gengibre, sal e pimenta em grão. Coei o caldo, levantei fervura e introduzi a massa.

Depois da massa estar al dente, coloquei dentro da cataplana, só para lhe dar sabor, não precisa de cozer mais.

Uma pequena delícia! Adorei, está mais do que aprovado e será sem dúvida para repetir!


Obrigada Chef Justa Nobre!

segunda-feira, 27 de Outubro de 2014

Wine in Azores - Day 3 - 26 Outubro 2014

E cá estamos... no último dia deste Grande Festival...

Revejam o Day 1 e Day 2.

Estabeleci contactos com as mais diversas pessoas; é um local perfeito para conviver e para passar um bom momento entre amigos, apreciar um bom vinho e aprendermos novas técnicas culinárias.


"O Peixe só quer Água quando está Vivo!" by Chef Álvaro Lopes

Com os showcookings, pomos à prova as nossas papilas gustativas e o nosso olfacto, assim como aprendemos que o vinho não serve só para beber: na comida consegue-nos surpreender! E por vezes percebemos o quanto estávamos errados em determinadas situações que já a tomávamos por garantidas.

Facilmente nos rendemos com a simplicidade com que podemos cozinhar um prato, mesmo não tendo tempo. Não há necessidade de recorrer a comida congelada. E a desculpa de não termos tempo para cozinhar, cai por terra! Basta um pouco de conhecimentos e usar bem os ingredientes e saem grandes pratos.



Os alimentos não querem muita cozedura... Tirando aqueles belos assados ou guisados morosos que fazemos ao fim de semana para a família toda! Se não temos paciência ou paixão ou jeito, é uma coisa, agora dizer que não houve tempo...

Quando queremos há sempre tempo para tudo. Realmente basta mesmo querer! É uma das coisas que estes showcookings tentam transmitir. Respeitar os ingredientes, não os cozinhar demais (principalmente o peixe) e usar técnicas que ajudam a preservar os nutrientes e mostrar que mesmo em 15 min podemos ter uma cataplana de peixe de impressionar os amigos e de os fazer implorar por mais!



Ingredientes excelentes e de boa qualidade fazem um prato de eleição! Mesmo que o jeito seja pouco, desde que respeitemos os ingredientes, saem pratos de lamber os dedos mesmo que sejam só dois ou três ingredientes. Por vezes dizemos que não gostamos de um prato, porque simplesmente o cozinhamos de maneira errada, pois quando ele é confeccionado da forma correcta mudamos logo de opinião, ou por vezes até mesmo na junção de alguns ingredientes e tudo fica diferente. Não saindo da forma mais acertada passamos a odiar algo que se calhar até é uma iguaria. E não vale a pena complicar muito...



E esta é a finalidade destes showcookings: estes Grandes Senhores revelam um pouco da sua sabedoria. Deveria haver mais iniciativas deste género... Vimos para casa muitos inspirados e com ideias novas que só queremos pôr em prática e partilhar a experiência!

É esta a energia que se vive durante três dias de quem leva a culinária mesmo como uma paixão! É de louvar toda a imaginação destes Chef´s e ousadia de misturar ingredientes tão simples que resultam em grandes pratos. E as técnicas que nos deixam boquiabertos a pensar: como é que eu nunca me lembrei disto?! E sempre baseado na nossa Típica Gastronomia Regional!



Eu agora estou mais ousada na cozinha e sem medo de experimentar novas coisas com inteligência.

Mas atenção, se não sei, não invento!! (já dizia o Chef Cordeiro!)



Para finalizar os showcooking, já fora do programa, tivemos a Tertúlia do Petisco a confeccionar um prato de carne bem flamejante!


Nos intervalos dos Showcookings ainda houve tempo para uma demonstração dos Vinhos do Pico pela Adega A Buraca e para um mini-workshop com os Cafés Delta



Um espectáculo como este merece que lhe cantemos os parabéns pelo seu 6º ano consecutivo de sucesso por tornar este evento único e irreverente!


Finalizamos em grande estilo com a Grande Cantora Lola Reina que veio representar os produtores de vinho e azeite espanhóis Anolmedo


E assim fechamos mais um ano em grande e para o ano há mais e que seja tão bom ou melhor que este!




Não percam esta grande reportagem da Videografia Audiovisuais que mostra muito bem o que é o espírito do Wine in Azores! E não deixem de visitar este site fantástico que para além de ter feito uma excelente cobertura deste evento, fala das viagens pelo mundo fora... ;-)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...